domingo, 8 de abril de 2012

Intervenção Fonoaudiológica

112 dias de Pós e ontem fui a mais uma seção de fono/fisio e estou com 45%  a menos de parestesia no trecho esquerdo do lado inferior; tratamos a mastigação e no próximo sábado trataremos a aglutinação.

Tenho "fuçado" muito sobre o mundo da odontologia, e não menos importante, a fonoaudiologia cumpre seu papel fidedignamente em prol de um resultado muito mais eficaz, junto a correção ortognática.


O parecer do fonoaudiólogo em relação à nós, pacientes com indicação de cirurgia ortognática é de suma importância.
Uma vez que este profissional possui conhecimentos de anatomia, fisiologia, neurofisiologia do sistema estomatognático e suas diferentes funções, cabendo a ele a avaliação das alterações miofuncionais deste sistema
Eu não sabia mas, os músculos da mastigação agem sobre articulação temporomandibular e são os responsáveis pelo fechamento e abertura da boca, protrusão, retrusão e laterotrusão da mandíbula.e só então entendi a importância de  relacionar a ação desses músculos com os movimentos da mandíbula para neles poder atuar após a cirurgia ortognática, reabilitando as alterações decorrentes da patologia que levou à cirurgia.

 E o que mais me impressionou:
...saber que estas alterações podem ser hipofunção, hiperfunção, alterações mastigatórias, deglutição e respiração!!!!!
A posição de descanso postural, também chamada de posição de repouso, está presente quando há equilíbrio entre os músculos que abrem e fecham a boca.
 A atividade correta destes músculos está relacionada com a musculatura do pescoço e tronco, no que diz respeito à ação das forças gravitacionais que atuam sobre o sistema.

O principal objetivo do tratamento miofuncional é evitar a recidivas esqueléticas através do restabelecimento da função normal (já falamos sobre isto em outros post's) e da obtenção de um equilíbrio muscular estático e dinâmico.
Conversei com vários amigos com ortognática em comum, sobre a importância de acompanhamento fono e descobri que há em suma duas formas de sistematizar tal tratamento;

Tipo de abordagem: informativa (orientação), preventiva ou corretiva
A época do atendimento realizado: pré-operatório, período de fixação intermaxilar e após a retirada do bloqueio intermaxilar rígido.

A abordagem informativa tem a função de orientar o paciente sobre a fisiologia normal da atividade muscular e as funções neurovegetativas
A abordagem do trabalho preventivo não quer dizer, nestes casos, prevenir as deformidades já instaladas, o que poderia ser feito num momento bastante anterior do desenvolvimento/crescimento craniofacial, ou seja, ainda na infância, mas a prevenção quanto aos aspectos funcionais que possam pôr em risco a estabilidade no trans-operatório. A prevenção nesse caso é em relação à obtenção/manutenção de atividade muscular adequada quanto à direção do movimento e à força nele empregada

No pós-operatório a função terapêutica é prevenção da manutenção de vícios orais e quanto às atitudes inadequadas do paciente decorrentes da falta de informação. O fonoaudiólogo atua no pós operatório também para prevenir as posturas inadequadas ou distorções nas funções (tais como, o uso de canudo durante a alimentação, o que os autores consideram inadequado pela força anterior empregada; assim como a tendência do esforço da abertura da boca durante a fala etc.)
Na abordagem corretiva engloba o trabalho miofuncional propriamente dito. Relaciona-se à correção dos distúrbios posturais, musculares (hipertônicos ou hipotônicos) e funcionais através de exercícios isométricos (para dar tonicidade) e isotônicos (para mobilidade) aos músculos, conforme a necessidade de cada paciente para a adequação do tônus postural e da ação dos tecidos moles que envolvem as estruturas ósseas faciais.

Cheguei a conclusão que o objetivo do tratamento fonoaudiológico é proporcionar um meio muscular equilibrado e funcionalmente harmônico a fim de evitar recidivas dentárias até mesmo esquelética no pós-cirúrgico.
O restabelecimento da estabilidade e da função normal é condição para o sucesso das cirurgias ortognáticas, que é o que todos nós queremos!!!!!!!

Um método de tratamento aplicado somente no pós-cirúrgico, envolvendo exercícios de mobilidade e tônus com o objetivo de normalizar a abertura da boca, a força e a função mastigatória, lembram meu sofrimento relatado em outros post's?

Tratamento Pós-cirúrgico Imediato
Durante este estágio do tratamento, três aspectos são abordados: sensibilidade, mobilidade e respiração;

- Com relação à sensibilidade, os exercícios podem ser iniciados logo após a cirurgia. O tratamento se fará através da exploração da exterocepção e da propriocepção.
- Mobilidade: doze a quinze dias após a cirurgia a musculatura deslocada já teve tempo de se fixar novamente e o trabalho de mobilidade pode ser iniciado. A mobilidade das bochechas, lábios e língua deve ser trabalhada através de exercícios suaves que não envolvam qualquer tentativa de abertura de boca.


... e pra não dizerem que eu não falei das flores...
Eis agora alguns dos exercícios feitos no consultório sob acompanhamento do profissional.





- Exercícios Para as Bochechas
Colocar ar sobre pressão para dentro da cavidade oral e passar de uma bochecha para outra alternadamente e se possível do lábio superior para o lábio inferior e vice-versa.

- Exercícios Para os Língua e Lábios
Pressionar a língua contra a região da papila palatina;
Tocar a ponta da língua na região da papila palatina e no soalho da boca alternadamente.
Passar a língua nos lábios lentamente e sem força ou tensão (ajuda a superar a parestesia).
Obs, o fonoaudiólogo deve estar atento durante este exercício. Se ele perceber que o paciente não pode fazê-lo sem tentar abrir a boca, ele interrompe o exercício imediatamente.

- Respiração
A respiração nasal não é adequada quando o ar inspirado não é aquecido, limpo, umedificado, ressecando não só os lábios como a cavidade oral e a faringe;
Para melhorar deve-se fazer exercícios que forçam a aeração nasal, tais como: segurar água na boca, segurar espátula ou retalho de hóstia entre os lábios;

- Terapia de Fala
Terapia de fala para o efetor articulatório, é usada quando persistem, padrões errados após intervenção cirúrgica ou dentária, e essas intervenções foram insatisfatórias ou não puderam resolver completamente o problema
Terapia causal primária: é representada pela intervenção cirúrgica ou dentária, segundo minha fono, minha dicção está ótima! e isto tbm se deu em virtude do canto, faço isto duas vezes por semana 3hs por dia...
Terapia causal secundária: ou da fala, refere-se à um lábio que ficou rígido ou esticado após a cirurgia, fiz questão de incluir esta dúvida na minha lista de perguntas, devido a alguns questionamentos feitos por amigos de um grupo ortognático do Face, segunda Dra. Karina, tem jeito sim! pode incluir diariamente massagem, estiramento e exercícios de arredondamento e extensão do lábio;
Para conter esse efeito distoclusal, podem ser usados exercícios de extensão ou de estiramento mandibular. Solicita-se ao paciente que aproxime progressivamente os dentes incisivos inferiores dos dentes antero-superiores durante 5 ou 10 minutos, duas ou três vezes ao dia. Da mesma forma, podem ser iniciados exercícios de puxar compensatoriamente para trás a mandíbula.

Quer vencer a parestesia e evitar uma recidiva?
...então faça a coisa certa!




2 comentários:

Fga. Giselle Feitosa Braga disse...

BOA TARDE, GOSTARIA DE FAZER UM COMENTÁRIO,
ONDE VC COLOCOU LÁBIOS É LINGUA, ESTES EXERCICIOS SÃO USADOS PARA A MUSCULATURA DA LINGUA.
SOU FONOAUDIÓLOGA E GOSTEI MUITO DO SEU BLOG.

Rosana Oliveira disse...

Oi Giselle! quanta honra ter uma profissional comentando meu blog!
Gi, a cirurgia ortognática compromete a movimentação da língua e de fato, tais exercícios me garantiram o retorno total da movimentação e sensibilidade da língua e concomitantemente, o retorno da sensibilidade dos lábios, quando citei :"Passar a língua nos lábios lentamente e sem força ou tensão" :D
Pois até agora, desconheço qualquer caso em que a ortognática tenha comprometido a movimentação dos lábios, no máximo uma limitação em virtude da parestesia superada aos poucos através de tais exercícios.
Intitularei então, Exercícios para lábios e língua!

Esteja a vontade para comentar quando quiser! seus conhecimentos contribuem muito!!! bjs gata!